9 tendências que irão moldar o trabalho de 2021 em diante

É justo dizer que 2020 abalou muitas organizações e modelos de negócios, alterando prioridades e planos enquanto os líderes de negócios lutavam para navegar em um ambiente em rápida mudança. Para muitas organizações, isso incluiu responder aos movimentos de justiça social, mudar para uma equipe remota em tempo integral, determinar a melhor forma de apoiar o bem-estar dos funcionários, gerenciar uma força de trabalho híbrida e agora abordar questões legais em torno da vacina Covid-19. Seria bom acreditar que em 2021 a estabilidade será restabelecida; no entanto, este ano provavelmente será outro ano repleto de grandes transições.

Embora grande parte do foco dos assuntos corporativos tenha ficado no aumento do número de funcionários trabalhando remotamente pelo menos parte do tempo daqui para frente, existem forças adicionais que moldarão os negócios em 2021:


1. Os empregadores deixarão de gerenciar a experiência do funcionário para gerenciar a experiência de vida de seus funcionários



A pandemia deu aos líderes empresariais maior visibilidade da vida pessoal de seus funcionários, que enfrentaram lutas pessoais e profissionais sem precedentes no último ano.

Ficou claro que apoiar os funcionários em suas vidas pessoais de forma mais eficaz permite que eles não apenas tenham uma vida melhor, mas também tenham um desempenho superior.


De acordo com a Pesquisa de Funcionários Reimagine HR do Gartner em 2020 , os empregadores que apoiam os funcionários em suas experiências de vida observam um aumento de 23% no número de funcionários relatando melhor saúde mental e um aumento de 17% no número de funcionários relatando melhor saúde física. Há também um benefício real para os empregadores, que veem um aumento de 21% no número de funcionários de alto desempenho em comparação com organizações que não oferecem o mesmo nível de suporte aos seus funcionários.

É por isso que 2021 será o ano em que o apoio do empregador para saúde mental, saúde financeira e até mesmo coisas que antes eram vistas como fora dos limites, como o sono, se tornarão os benefícios básicos oferecidos aos funcionários.


2. Mais empresas adotarão posições nos debates sociais e políticos atuais



O desejo dos funcionários de trabalhar em organizações cujos valores se alinham aos seus vem crescendo há algum tempo. Em 2020, esse desejo se acelerou:


a pesquisa do Gartner mostra que 74% dos funcionários esperam que seu empregador se envolva mais ativamente nos debates culturais da época. Acreditamos que os CEOs terão que responder para reter e atrair os melhores talentos.

No entanto, fazer declarações sobre os problemas do dia não é mais suficiente: os funcionários esperam mais. E os CEOs que gastaram recursos reais nessas questões foram recompensados ​​com funcionários mais engajados. Uma pesquisa do Gartner descobriu que o número de funcionários considerados altamente engajados aumentou de 40% para 60% quando sua organização atuou nas questões sociais de hoje.


3. A disparidade entre gênero e salário continuará a aumentar à medida que os funcionários retornam ao escritório



Muitas organizações já adotaram uma força de trabalho híbrida - ou estão planejando para este ano - que permite que os funcionários trabalhem no escritório corporativo, em casa ou em um terceiro espaço alternativo (cafeteria, espaço de trabalho compartilhado, etc.). Nesse cenário híbrido, os CHROs tem dito que as pesquisas com seus próprios funcionários mostram que os homens têm maior probabilidade de decidir retornar ao local de trabalho, enquanto as mulheres têm maior probabilidade de continuar trabalhando em casa.


De acordo com uma pesquisa recente do Gartner , 64% dos gerentes acreditam que os trabalhadores de escritório têm um desempenho melhor do que os remotos e, por sua vez, provavelmente darão aos trabalhadores internos um aumento maior do que aqueles que trabalham em casa. No entanto, os dados que coletamos de 2019 (pré-pandemia) e 2020 (durante a pandemia) mostram o oposto: trabalhadores remotos em tempo integral têm 5% mais probabilidade de ter alto desempenho do que aqueles que trabalham em tempo integral no escritório.

Portanto, se os homens são mais propensos a trabalhar no escritório e os gerentes mantêm um viés em relação aos trabalhadores internos, devemos esperar ver os gerentes recompensando demais os funcionários do sexo masculino em detrimento das mulheres, agravando a diferença de gênero-salário ao mesmo tempo quando a pandemia já teve um impacto desproporcional nas mulheres.


4. Novos regulamentos limitarão o monitoramento dos funcionários



Durante a pandemia, mais de 1 em cada 4 empresas comprou nova tecnologia, pela primeira vez, para rastrear e monitorar passivamente seus funcionários. No entanto, muitas dessas mesmas empresas não determinaram como equilibrar a privacidade dos funcionários com a tecnologia, e os funcionários estão frustrados.

A pesquisa do Gartner descobriu que menos de 50% dos funcionários confiam em suas organizações com seus dados, e 44% não recebem nenhuma informação sobre os dados coletados sobre eles.

Em 2021, esperamos uma variedade de novos regulamentos em nível estadual e local que começarão a colocar limites sobre o que os empregadores podem rastrear sobre seus funcionários. Dada a variabilidade que isso criará, as empresas provavelmente adotarão os padrões mais restritivos em sua força de trabalho.


5. A flexibilidade mudará de local para tempo



Embora permitir que os funcionários trabalhem remotamente se tornou comum em 2020 (e continuará neste ano em diante), a próxima onda de flexibilização se dará também no formato sobre quando e quanto os funcionários deverão trabalhar.


A Pesquisa de Funcionários ReimagineHR do Gartner em 2020 revelou que apenas 36% dos funcionários tinham alto desempenho em organizações com uma semana de trabalho padrão de 40 horas. As organizações que oferecem flexibilidade aos funcionários sobre quando, onde e quanto trabalham consideram 55% de sua força de trabalho como de alto desempenho.

Em 2021, é possível que aconteça um aumento de novos empregos onde os funcionários serão medidos por sua produção, em oposição a um conjunto de horas acordado.


6. As empresas líderes farão compras a granel da vacina da Covid para os funcionários - e poderão ser processadas pelos requisitos da vacina da Covid



Os empregadores que fornecem a vacina Covid para sua força de trabalho aproveitarão essa ação como um diferencial importante para atrair e reter talentos.

Juntamente com os empregadores que fornecem a vacina, várias empresas serão processadas por exigir que seus funcionários tenham um comprovante de vacinação antes de permitir que eles retornem ao local de trabalho. O litígio correspondente diminuirá os esforços de retorno ao local de trabalho, mesmo com o aumento do uso da vacina.


7. O suporte à saúde mental é o novo normal



Nos últimos anos, os empregadores ofereceram novos benefícios para apoiar seus funcionários, por exemplo, licença parental ampliada. Mesmo antes da pandemia, a pesquisa do Gartner revelou que 45% dos aumentos de orçamento de bem-estar estavam sendo alocados para programas de bem-estar mental e emocional.

A pandemia Covid-19 colocou o bem-estar em primeiro plano, pois os empregadores estão mais conscientes do que nunca sobre o impacto da saúde mental nos funcionários e, por associação, no local de trabalho.

No final de março, 68% das organizações haviam introduzido pelo menos um novo benefício de bem-estar para ajudar os funcionários durante a pandemia. Em 2021, os empregadores irão ainda mais longe, trabalhando para desestigmatizar a saúde mental ao expandir os benefícios da saúde mental, criando dias em que fecham toda a empresa por um dia para oferecer "um dia de saúde mental coletivo" para conscientizar a força de trabalho sobre este problema crítico.


8. Os empregadores procurarão “alugar” talentos para preencher a lacuna de habilidades



O número de habilidades que os empregadores estão procurando aumentou drasticamente - nossa análise mostra que as empresas listaram cerca de 33% mais habilidades em anúncios de emprego em 2020 do que em 2017.

No final das contas, as organizações simplesmente não conseguem refazer as habilidades de sua força de trabalho existente rápido o suficiente para atender às suas necessidades em constante mudança.


Na margem, algumas empresas deixarão de tentar desenvolver habilidades para um futuro incerto e, em vez disso, apenas contratarão e pagarão por essas habilidades quando a necessidade realmente se manifestar. Outras empresas irão expandir seu uso de contratação contingente e contratual ou expandir suas parcerias com organizações para “alugar” funcionários por um curto período de tempo para atender às necessidades de qualificação que estão enfrentando.


9. Os Estados competirão para atrair talentos individuais, em vez de tentar fazer com que as empresas se mudem



Os estados e as cidades têm historicamente oferecido incentivos para fazer com que as empresas se mudem para suas jurisdições. A crença é que, se você pode incentivar as empresas a vir, elas trarão empregos com elas.

A nova era de trabalho remoto e híbrido desenvolverá essa estratégia - onde a vida de um funcionário estará menos ligada ao local onde seu empregador está localizado do que nunca.

Dada a alteração da localização da empresa e da localização dos funcionários, estados e cidades começarão a usar suas políticas fiscais para criar incentivos para que os indivíduos se mudem para suas jurisdições, em vez de conceder créditos fiscais apenas para grandes empresas se mudarem. Já estamos vendo programas iniciantes em cidades como Topeka, KS e Tulsa, OK, onde eles estão oferecendo aos funcionários remotos até $ 15.000 para se mudarem para lá. Essas jurisdições competirão por funcionários individuais e seus empregos, não apenas pelo empregador.







Tradução livre do artigo de Brian Kropp:

Brian Kropp é o chefe de pesquisa da prática de RH da Gartner, que oferece percepções e soluções que abordam desafios executivos novos e emergentes e permitem que os líderes de RH tomem ações decisivas. A experiência de Brian abrange todos os aspectos de RH, incluindo aquisição e gestão de talentos, experiência dos funcionários, gestão de mudanças e liderança.





Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2023 POR UP Experience. 

colaborcw@gmail.com |  R. Juiz de Fora, 1454, Sto Agostinho | Belo Horizonte, MG